31.1.09

Preservação arquitetônica


Imagem 1: Quadro de Zeméco, o Hotel Amaral.

Imagem 2: Hotel Amaral restaurado, atual sede do MP-SJN.

O quadro acima, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, retrata o antigo Hotel Amaral, que em 2007, após a conclusão das obras de restauro do mesmo, promovidas pelo Ministério Público de São José do Norte - RS - Brasil, passou a ser a sede do MP, bem como ter seu auditório cedido para atividades artísticas, culturais e sociais do município.

29.1.09

A cultura da cebola na arte de Zeméco






Acima, a primeira imagem é o quadro que retrata uma xácara idealizada por José Américo Roig, o Zeméco, retratando uma entre tantas que de fato existem no interior do município, vinculadas à cultura da cebola e também à pecuária. A cebola já deu a São José do Norte, décadas atrás, o título de capital da cebola.
As demais imagens são fragmentos do mesmo quadro, que capturadas pela lente de uma câmera digital, dão mostras da riqueza dos detalhes pintados pelo pintor nortense, como se fossem três quadros independentes.
O colorido, a paisagem, as personagens, tudo foi capturado e pintado, graças ao olhar especial e privilegiado de seu autor...

Observação: Para ver melhor os detalhes, basta clicar duas vezes sobre as imagens acima.

Arte e vida de Zeméco


Imagem 1: Quadro de Zeméco.

Imagem 2: Casa da família Antiqueira.

Dentro do objetivo deste blog, de dilvulgar arte e vida de José Américo Roig, o Zeméco, acima consta a arte, através do quadro que retrata a casa em que Zeméco nasceu, em 20 de julho de 1934, situada na Rua Mal Floriano, em São José do Norte - RS - Brasil.
Parte casa, justamente o lado em que Zeméco nasceu, já não existe mais...

Abaixo, pequeno Curriculum Vitae de Zeméco, produzido por sua esposa Hildette.

José Américo Roig (Zeméco) / Pintor autodidata

Como toda criança, aos 05 anos, começou a desenhar carrinhos, casinhas, bichinhos, etc. Aos 15 anos começou a pintar letreiros em casas de comércio, em canoas de pescadores e cartazes para o cinema, onde trabalhou por mais de 10 anos como operador. Foi, também, funcionário público municipal, fazendo decorações de rua no Carnaval e em outras festividades, bem como ilustrava provas escolares em sua terra natal. No ano de 1961 expôs no Salão Paroquial de São José do Norte, convidado pelo padre Onofre Sciffo. Mais tarde transferiu-se para Porto Alegre, onde trabalhou como desenhista publicitário da Mesbla S/A durante 06 anos.

Expôs na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul; no Clube Oriente em Campo Bom – RS; na 3ª e 4ª Arte em Torres – RS; em Piratini e em Rio Grande – RS, no espaço cultural do Banco do Brasil; na Fundação Universidade do Rio Grande – FURG (a convite do Diretório Acadêmico de Biblioteconomia); no Centro Municipal de Cultural e na Caixa Econômica Federal de Rio Grande e de São José do Norte.

Em Santa Catarina mostrou seu trabalho em Criciúma, na Lagoa da Conceição; em Itajaí; em Florianópolis e obteve “Menção Especial” no 1º Salão de Artes Imperial Marinheiro do 5º Distrito Naval em Rio Grande – RS. Seus trabalhos estão em diversas capitais do país, na Argentina, na cidade de Águeda em Portugal e em Montreal no Canadá.

Este ano completará 60 anos colorindo São José do Norte (1949-2009). Seu trabalho é todo dirigido a sua terra natal, onde nasceu no dia 20 de julho de 1934, filho de Américo Segundo Roig e de Ana Rodrigues de Sá Roig. Criou-se em São José do Norte, correndo alegre entre as brancas e buliçosas dunas, e tendo o passado sempre presente através da arquitetura colonial e da pesca artesanal. Daí sua inspiração e o apego às coisas nortenses; tal qual Delfina da Cunha, a maior poetisa cega do Rio Grande do Sul em todos os tempos - segundo alguns, parente distante do pintor pelo lado materno.


TÉCNICA: Simples e bela como sua obra, usando lâminas de eucatex, fazendo uma mistura própria; pintando também em telas a óleo.

Um olhar virtual sobre o olhar real...


Imagem 1: o detalhe.

Imagem 2: o quadro original.

Imagem 3: Foto da atual Prefeitura Municipal de São José do Norte.

Mais uma postagem destacando fragmento (imagem 1) de quadro original de José Américo Roig, o Zeméco, que pode ser observado como uma obra em separado.
No caso, o antigo Sobrado do Sr. Gotardo Amaral da Silveira (imagem 2), onde funciona a atual Prefeitura Municipal, situada na Rua Marechal Deodoro, em São José do Norte - RS - Brasil (imagem 3).

O céu do Mar Grosso: entre o real e o imaginário



Acima, duas imagens do céu da praia do Mar Grosso, em São José do Norte - Rio Grande do Sul - Brasil.
A primeira, de cima para baixo, uma fotografia do próprio céu do Mar Grosso.
A segunda, o fragmento de uma tela do pintor José Américo Roig, o Zeméco, que reside há 30 anos na referida praia.
Esta segunda imagem, para quem já observou Zeméco pintar, primeiro é colocada com pincel uma porção de tinta branca sobre o fundo azul (no pedaço de eucatex, ao invés de tela), e depois espalhado pelas próprias mãos, ou melhor, pela ponta dos dedos do pintor, o pequeno borrão de tinta branca que se torna uma bela nuvem idealizada.
As nuvens reais, logicamente, são pintadas pela mão de Deus...

18.1.09

Visão 360 graus da Praia do Mar Grosso - RS



Vídeo acima, feito em 17/01/2009, com visão de mais 360 graus da beira da praia do Mar Grosso, em São José do Norte - extremos sul do Rio Grande do Sul - Brasil. Local onde o artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, residente há 30 anos.
Link para o vídeo, no YouTube, abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=rr6Ie4gmqRo

14.1.09

Zeméco & a arte em miniatura


Imagem acima, fotografia tirada do acervo de Zenilda Domingues Brasil, que possui uma tela em tamanho reduzido (10x12cm) do motivo Boca da Doca (do Norte), feita por José Americo Roig, o Zeméco. Foram apenas 3 ou 4 telas em miniatura que Zeméco fez até hoje. Uma pequena relíquia para os que as possuem.
Observação: Na fotografia em questão, foi colocado ao lado da tela uma caneca de chope para dar uma amostra do tamanho da mesma.

Abaixo, link para outro quadro de Zeméco (do acervo digital do blog Olhar Virtual), com o mesmo motivo da Boca da Doca de São José do Norte - RS - Brasil, em tamanho maior:

Boca da Doca

Observação 2: Zeméco agradece antecipado àqueles que tendo algum quadro ou motivo por ele pintado remetam imagem do mesmo para o e-mail klaesroig@yahoo.com.br, para que seus variados trabalhos fiquem expostos à comunidade nortense e ao ciberespaço, nesse pequeno inventário virtual de sua vida e obra, que é o blog Olhar Virtual, criado e mantido por seus filhos. Grato a todos!

Frigoria em dois tempos




Acima, imagem do quadro Frigoria, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, mostrando como era o prédio da antiga indústria de pescados Frigoria S.A. (e ao fundo deste parte do prédio da antiga Confrio), empresas que tiveram seu apogeu na década de 1970, e abaixo do quadro 2 fotos do prédio como está hoje, próximo ao atracadouro.
Resgate histórico através da arte e da cultura, e das pinturas de Zeméco para toda uma geração que não conheceu o passado do município.

12.1.09

Lancha Noiva do Mar



Acima, dois momentos da mais antiga e uma das mais seguras lanchas que fazem a travessia entre São José do Norte e Rio Grande, no extremo sul do Rio Grande do Sul, Brasil.
Na primeira imagem, o quadro de José Américo Roig, o Zeméco; e no segundo motivo, uma foto recente da lancha Noiva do Mar, tirada por Sérgio A.K. Roig.
Noiva do Mar é uma alusão ao título da cidade de Rio Grande, como é chamada na região; assim como "Mui Heróica Vila" é o título ostentando por São José do Norte.
A travessia entre os dois municípios, de segunda a sábado, por lancha, é feita a cada 30 minutos; e nos domingos e feriados, a cada hora.

Maiores detalhes e informações turísticas podem ser obtidas no portal:
http://www.saojosedonortevirtual.com.br

Observação: Visitem o acervo digital deste blog, acessando ao menu ARQUIVO, com as postagens de imagens e vídeos desde 2006.

11.1.09

City tour virtual pelo centro histórico de São José do Norte


Acima, vídeo feito por Sérgio A. K. Roig, filho de Zeméco, mostrando parte do centro histórico de São José do Norte - RS - Brasil.
Sérgio, filmando a partir do atracadouro do município, foca o prédio da antiga Frigoria (indústria de pescados), depois mostra o Solar do Imperadores, o Sobrado do Chafik, a atual Prefeitura, a Antiga Intendência e por fim o desativado Cine Miramar.
Todos os casarios podem ser encontrados neste blog, retratados pelo olhar virtual de José Américo Roig, o Zeméco.

Endereço do vídeo no You Tube, abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=8VQFLuYG8Ng

10.1.09

Zeméco: O Pensador


Fotografia acima, de José Américo Roig, o Zeméco, em momento de devaneio no quintal de sua casa, na praia do Mar Grosso, em São José do Norte - RS - Brasil.
Foto tirada por seu filho Sérgio A.K.Roig, sem que o pai percebesse.

A ação do tempo e do vento





Acima (foto 1), o quadro O Solar dos Imperadores, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco. A seguir (fotos 2, 3 e 4), imagens do referido casario histórico, em São José do Norte - RS - Brasil, capturadas por Sérgio Antonio Klaes Roig (filho de Zeméco).
Em função da ação do tempo e do vento, esse inestimável prédio incorporado à identidade nortense - em que se hopedaram os dois imperadores do Brasil, D. Pedro I e II -, encontra-se ameaçado, pois parte do telhado tombou.
A questão da preservação histórica do patrimônio arquitetônico de um local, depende não apenas da lei de proteção, mas de mecanismos de apoio à manutenção do mesmo, pois o restauro implica em mão-de-obra especializada, material apropriado, custo elevado, etc.
Buscar parcerias entre o poder público, a iniciativa privada e organizações não-governamentais é um desses meios.

9.1.09

Praia do Mar Grosso: residência de Zeméco há 30 anos


Acima, apresentação em SlideShow de algumas fotografias da praia do Mar Grosso, em São José do Norte, extremo sul do Rio Grande do Sul - Brasil, onde o artista plástico José Américo Roig (Zeméco), natural de SJN, reside há 30 anos.
A praia do Mar Grosso fica cerca de 6km da saída da cidade e aproximadamente 8 km da Hidroviária. Pode ser visitada por travessia de lanchas de Rio Grande ou pela ex-Estrada do Inferno, BR-101, pelo litoral. Que vem de lancha pode ir à praia de ônibus, na Estação Rodoviária, bem próxima a Hidroviária; ou de táxi, ao lado desta, levando cerca de 15 a 20 minutos de viagem.

Maiores detalhes sobre a cidade e a praia no portal abaixo:
http://www.saojosedonortevirtual.com.br

Ou no link abaixo:

São José do Norte: onde as águas se encontram

Filho de peixe...







Os quadros acima, são produções recentes de Sérgio Antonio Klaes Roig, filho caçula (dos homens) de José Américo Roig, o Zeméco, e tem um estilo próprio e temas diferenciados.
Sérgio, que além de quadros faz pinturas ao ar livre, costuma assinar suas obras com o nome artístico de Raffo (sobrenome de origem italiana, da avó materna Virgínia Raffo; por sinal, Virgínia é a filha caçula de Zeméco, entre todos os quatro.
Enquanto José Antonio e Marco Antonio residem em Rio Grande - RS; Sérgio Antonio reside com os pais na praia Mar Grosso (SJN) e Virgínia em São José do Norte - RS - Brasil. Todos os filhos desenham, mas somente Sérgio e Virgínia pintam, e até a neta Júlia já tem o dom da pintura.

Vejam também outras produções de Sérgio, já publicadas no Olhar Virtual, clicando nos links (atalhos) abaixo:

Arte em família

Arte em família II

8.1.09

A magia das cores: o antes e o depois


Foto 1: Quadro com vista de São José do Norte

Obs.: Arte final do quadro acima.

Foto 1: Esboço do beco de SJN e ao fundo casario do IHGSJN.

Obs.: Arte final do quadro acima.

Foto 3: Esboço do antigo prédio da Colônia de Pescados e Igreja Matriz.

Obs.: arte final do quadro acima.

Mais uma série de quadros de José Américo Roig, o Zeméco, mostrando seus rabiscos e fundos, e depois, abiaxo de cada um, a conclusão.
Como as fotografias foram tiradas em momentos distintos, os rabiscos não correspondem fielmente aos mesmos esboços, mas são os mesmos motivos pintados pelo pintor nortense, das ruas, casarios e fachadas de sua cidade natal, São José do Norte - Rio Grande do Sul - Brasil.

Observação: Para ver melhor os detalhes de ambos, basta clicar duas vezes sobre cada foto.

3.1.09

História, arquitetura, arte e cultura no extremo sul do Brasil




Acima, foto 1, quadro de Zeméco, retratando a antiga Exatoria de Sao José do Norte - RS - Brasil, que também serviu por vários anos como sede do destacamento da Brigada Militar (como é chamada a polícia militar do Estado do Rio Grande do Sul), lotada no município.
Nas fotos 2 e 3, o mesmo local atualmente, localizado na Rua Gal. Osório (ou também conhecida como Rua Direita).
História e arquitetura de uma região, preservadas através da arte e cultura; e, em especial, pelo olhar virtual de Zeméco e seu blog.

Observação: Para maiores dados e informações sobre São José do Norte, consultar os links abaixo
http://www.saojosedonortevirtual.com.br
http://www.riograndeemfotos.fot.br/fotosjn.html

História viva através da pintura


Foto 1: quadro Casa Ferrari

Foto 2: quadro Casa Ferrari

Foto 3: Rua Gal. Osório

Imagens acima, fotos 1 e 2, de quadros de José Américo Roig, Zeméco, retratando a famosa Casa Ferrari, que infelizmente não existe mais, e que situava-se na Rua Gal. Osório (também conhecida como Rua Direita), em São José do Norte - RS - Brasil.
Atualmente, em seu local existe o prédio ilustrado pela foto 3 (acima).
Ainda que o Homem (espécie) e a sociedade nem sempre consigam preservar e restaurar em tempo seu patrimônio arquitetônico, cabe a arte e cultura, por traços e tintas essa restauração imaginária do passado real.
Através de ações de preservação e conscientização para valor histórico, artístico, cultural e identitário dos casarios, feito por entidades como a Associação Pró-Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural - Aphac/Norte e o Instituto Histórico e Geográfico de São José do Norte, bem como entidades como o Ministério Público, Secretaria Municipal de Educação e Cultura, entre outras, além de pessoas da comunidade, ainda continuam de pé diversos casarios históricos, como o Solar dos Imperadores (vide acervo digital deste blog, no menu Arquivo).
Muitos deles estão estaqueados, para tentar impedir a ação de o tempo e o vento, além da do próprio homem.
Uma cidade sem o seu passado, é como uma pessoa sem sua genealogia. Há que se lutar para a preservação deste acervo a céu aberto, através de parcerias, como a ocorrida com o Ministério Público de SJN, que preservou o antigo Hotel Amaral (vide iamgens no link abaixo), que hoje restaurado, abriga a bela sede do MP, que serve também para diversos eventos, em seu salão.
A contribuição de Zeméco e do blog Olhar Virtual foi e é a de legar às novas gerações as imagens desse riquíssimo passado, que em alguns casos só existe preservado na memória visual de José Américo Roig.

Semana de Aniversário de São José do Norte - 2007

Pôr-do-sol na lagoa: o detalhe e o quadro


A imagem acima é um detalhe do quadro "Pôr-do-sol na Lagoa", de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, retratando a vista do entardecer, em São José do Norte - RS - Brasil, às margens da Laguna dos Patos.
Para ver a pintura original, basta clicar no link abaixo:

Pôr-do-sol na lagoa noutro formato
http://olharvirtual.blogspot.com/2008/02/pr-do-sol-na-lagoa-noutro-formato.html

2.1.09

Brasão de São José do Norte, idealizado por Zeméco


Foto 1: Brasão confeccionado por Zeméco e Padre Onofre Scifo (1961).

Foto 2: Carta encaminhada ao Prefeito Francisco Parobé (1961).

No distante dia 05 de dezembro de 1961, por iniciativa do artista plástico José Américo Roig (Zeméco) e do Padre Onofre Scifo, um dos primeiros incentivadores do pintor, foi remetida correspondência, em nome da Sociedade Assistencial e Recreativa "Padre Eugênio Tyck", ao Sr. Francisco de Paula Lagos Parobé, então, Prefeito Municipal de São José do Norte - RS - Brasil.
O objetivo da missiva era, aproveitar o 120º aniversário da concessão do título de "Mui Heróica Villa", por parte de D. Pedro II aos nortenses, pela defesa do Império durante a Revolução Farroupilha (1841); encaminhando Zeméco e Pe. Onofre ao Prefeito o desenho (1961), já que até aquela data o município não possuía tal brasão.
Junto ao desenho (foto 1, acima), foi também encaminhada explicação de cada detalhe do mesmo, conforme a íntegra da correspondência (foto 2, acima), fotografada em 31/12/2008, na residência de Zeméco.
A arte e cultura são também formas de preservação da memória e da história de um local.

Breve explicação do desenho e seu significado, pelos autores:

Conforme a carta, o brasão confeccionado apresentava alguns símbolos:

"Coroa: formada por muros graníticos encimada por merlões, assim como eram construídas as antigas cidadelas, é o símbolo nato para todas as cidades.
A Fita tricolor que atravessam a parte superior do escudo, amparada pelo Cruzeiro do Sul, bem indica que é uma cidade gaúcha.
Num pleito de gratidão aos que trabalham para a prosperidade de nosso Município, embaixo, a direita está representada a Agricultura e a Pecuária, e a esquerda está representada a Pescaria, outra fonte de riqueza e de progresso de nossa Terra.
Enfim, o Escudo é sustentado por dois leões, símbolo da força e da coragem de todos os Nortenses, que sabem lutar como LEÕES, hoje como ontem, para a ordem e a Legalidade, com aquela bravura que lhes mereceu 120 anos atrás, o ambicionado título de MUI HERÓICA VILLA."


Observação: Para a leitura mais nítida do inteiro teor da carta, assinada por Zeméco e pelo Padre Onofre, basta clicar duas vezes sobre a imagem da mesma.

Brasão oficial de São José do Norte - RS - Brasil


A imagem acima, o brasão oficial do município de São José do Norte - RS - Brasil, encontra-se pintada em antigo painel, na sala de estar da casa do pintor nortense, José Américo Roig, Zeméco, na praia do Mar Grosso, no mesmo município.
O referido painel contém também mapa do município, feito no início dos anos 1980, quando a atual residência do artista plástico pertencia à Prefeitura de SJN, que de desativada usina a óleo diesel, para alimentar de energia elétrica as poucas casas da praia do Mar Grosso (dentre elas os restaurantes Mariscão e Caramujo, etc.), foi naquele tempo tornada Centro de Informações Turísticas e do serviço de alto-falantes da praia, e ao mesmo tempo residência de Zeméco.
Terminado esse tipo de serviço, o pintor continuou morando no local - fazendo do antigo galpão uma casa com diversos cômodos, entre eles sua estúdio de artes -, até que, anos mais tarde, por iniciativa da Câmara de Vereadores de São José do Norte, em função dos serviços prestados à arte, cultura e história do município, o terreno e casa foram doados a José Américo Roig.
Zeméco, literalmente construiu uma vida, carreira e casa pelas próprias mãos...
Um pintor de retratos, paisagens, letreiros comerciais, desenhistas, vitrinista, entre outras atividades...
Zeméco é um daqueles poucos artistas que tem reconhecido e valorizado ainda em vida seu legado, através dos órgãos públicos e autoridades constituídas, bem como da sociedade em geral, através de escolas, professores, alunos e a comunidade em geral.

Observação: Cabe salientar, para os desavisados, que o nome do município deve-se ao fato de estar ao Norte da cidade vizinha de Rio Grande, do qual pertenceu até a emancipação política; afinal, embora tenha o nome de São José do Norte, o mesmo encontra-se situado no extremo sul do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Um quadro em quatro...





As imagens acima são de um mesmo quadro, de autoria do artista plástico nortense José Américo Roig, o Zeméco, que fotografada a obra em partes, são destacados alguns detalhes desta, que podem ser vistos como quadros em separado. No caso, quadro quadros em um só... O universal e o particular.
Zeméco, nascido em 20/07/1934, em São José do Norte - RS - Brasil, completará neste ano de 2009, 75 anos de idade e 61 anos de artes plásticas. Na maior parte, dedicado a sua terra natal. Este ano também completará 30 anos residindo na praia do Mar Grosso, em SJN. Uma de suas fontes de inspiração.